15 mar 2019

Ato em defesa da aposentadoria será no dia 22

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Com a aposentadoria do trabalhador brasileiro em risco, as centrais sindicais promovem, na sexta-feira (22/03) da próxima semana, o Dia Nacional de Luta em defesa da Previdência Social. Em Salvador, o ato acontece às 9h, na rótula do Abacaxi. O Sindicato dos Bancários da Bahia participa. 

O objetivo de esclarecer algumas mentiras contadas pelo governo Bolsonaro sobre as mudanças na Previdência. O rombo de R$ 149 bilhões é um exemplo. A grande mídia e o governo escondem os calotes das grandes empresas. Até 2015, a dívida era de R$ 375 bilhões, mais do que o dobro do falso déficit. 

A reforma da Previdência estabelece, dentre outros itens, idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres, além de elevar o tempo de contribuição de 15 para 20 anos. O trabalhador ainda terá de contribuir ao INSS por 40 anos para poder ter acesso a 100% do valor da aposentadoria. Para completar tem o sistema de capitalização que reduz o valor do benefício, condicionando milhares de idosos à miséria.

Fonte: O Bancário

15 mar 2019

Projeto exige igualdade salarial entre gêneros

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

A fim de assegurar salários iguais para homens e mulheres, o Senado aprovou projeto de lei que endurece a cobrança sobre os empregadores que não pagam salários iguais para homens e mulheres na mesma função e na mesma atividade. 

De acordo com a matéria, de autoria do senador Fernando Bezerra (MDB-PE), cada caso será apurado em ação judicial e, se constatada a ilegalidade, a empresa será punida com a aplicação de multa. O valor deve corresponder ao dobro da diferença salarial verificada mês a mês. 

A diferença salarial média entre homens e mulheres chega a ser 23% nas micro e pequenas empresas. Nas médias e grandes, pula para 44,5%. Os dados são da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), do IBGE. 

15 mar 2019

Bancários definem calendário de mobilizações

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Reunido nesta quinta-feira (14/03), em São Paulo, o Comando Nacional dos Bancários definiu o calendário de atividades da categoria para 2019.  A agenda começa com a mobilização contra a reforma da previdência proposta pelo governo Bolsonaro, no dia 22 de março, e segue até a realização da 21ª Conferência Nacional dos Bancários, entre os dias 2 e 4 de agosto.

O presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Hermelino Neto, o presidente do Sindicato da Bahia, Augusto Vasconcelos, e o diretor do Sindicato de Sergipe Everton Castro participaram da reunião.

Confira a íntegra do calendário:

22 de março – Dia Nacional contra a Reforma da Previdência Social        22 de março

9 de abril – Mesa Temática de Saúde          

10 de abril – Mesa Igualdade de Oportunidades    

24 de abril – Mesa Temática de Segurança Bancária

Março a maio – Consulta Nacional – Temas: Previdência Social, saúde e bancos públicos.

Julho – Mesa Relações Sindicais      

Maio a julho – Conferências Estaduais e Regionais

15 e 16 de junho – Congressos de Bancos Públicos – (35º CONECEF e 30º CNFBB)    

2 a 4 de agosto – Conferência Nacional dos Bancários, em São Paulo.

FONTE: FEEBBASE

15 mar 2019

Governo impõe lei do silêncio no INSS

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social, Renato Rodrigues Vieira, decretou “lei do silêncio” a todos os ocupantes de cargos da autarquia por meio de ofício-circular. A determinação é que todos estão proibidos de dar entrevistas ou declaração sobre a reforma da Previdência. 

É um absurdo atrás do outro, além de contrariar diretamente a Lei 12.527/11, que regula o acesso a informações. O documento que circulou foi endereçado a diretores, procurador-chefe, auditor-geral, corregedor-geral, coordenadores-gerais, superintendentes regionais, gerentes-executivos e gerentes de agências de Previdência Social (APS).

Segundo o presidente Renato Rodrigues Vieira, o objetivo é uniformizar as informações sobre a reforma da Previdência, portanto devem direcionar para a assessoria de comunicação da Secretaria Especial de Previdência Central do INSS. 

Sobre o Instituto Nacional de Seguridade Social

O INSS é responsável por gerir e pagar os benefícios previdenciários dos aposentados, pensionistas e outros segurados do RGPS (Regime Geral de Previdência Social).

Fonte: O Bancário

15 mar 2019

Juros são um prato cheio para o lucro alto

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Parte do lucro bilionário dos bancos vem da cobrança dos juros e tarifas absurdos aos brasileiros. Hoje, 62% das famílias estão endividadas, aponta o Banco Central. As taxas elevadas do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito são as que mais tiram o sono do cidadão.

Para conseguir sair do vermelho é preciso um bom planejamento e abrir mão de algumas “regalias” é fundamental. Mas, vale muito a pena fazer. Para se ter ideia, em janeiro, o cheque especial estava em 315,6% ao ano e o rotativo do cartão de crédito em 286,9%.

Os dados não deixam dúvidas. Os bancos usam e abusam dos brasileiros. Nem mesmo as poucas regras criadas são capazes de impedir os abusos. Em junho do ano passado, por exemplo, o CMN (Conselho Monetário Nacional) determinou que tanto devedores quanto adimplentes paguem as dívidas com a mesma taxa de juros. 

Mesmo assim, as organizações financeiras encontram uma forma de diferenciar as cobranças e acrescem juros e multa pelo atraso. Quer dizer, para o sistema financeiro pouco importa se a economia do país vai travar com a redução do consumo por parte das famílias. O lucro sempre será a prioridade. 

Fonte: O Bancário

Para o brasileiro, viver com um salário mínimo (998,00) é fazer malabarismo. Praticamente impossível. A realidade seria diferente se fosse aplicado o valor estimado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) em fevereiro, de R$ 4.052,65. 

Para o Dieese, R$ 4.052,65 (4,06 vezes o salário mínimo em vigor), é o valor necessário para sustentar uma família de quatro pessoas e atender as necessidades básicas, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.

O valor é calculado com base na cesta básica mais cara entre 18 capitais pesquisadas. No último mês, o maior valor foi verificado em São Paulo (R$ 482,40). Já os valores mais baixos foram registrados em Salvador (R$ 362,93) e São Luís (R$ 368,82).

No Brasil, o custo de vida está cada vez mais alto atrelado ao fato de que o desemprego sobe. Se a cesta básica mais barata é R$ 362,93, significa dizer que, para quem ganha R$ 998,00, sobram apenas R$ 635,07 para todas as outras necessidades. A matemática “não bate”.

Fonte: O Bancário

15 mar 2019

Privatizar a Previdência é um fracasso

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Apesar do fracasso evidenciado na maioria dos países onde o sistema de capitalização foi implantado, o governo Bolsonaro insiste em empurrar a reforma da Previdência. Diante do impacto social e econômico negativo, muitas nações tiveram de reestatizar total ou parcialmente a Previdência.

Ao todo, 30 países privatizaram os sistemas de Previdência Social entre 1981 a 2014, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho). Entre eles, 14 são da América Latina, como o Chile, onde milhões de idosos vivem na miséria em decorrência do regime do capitalização. 

O estudo Revertendo as Privatizações da Previdência – Reconstruindo os sistemas públicos na Europa Oriental e América Latina ainda apontou que até o ano passado 18 países reverteram o processo. Prova que não é boa coisa.

Com a capitalização, o trabalhador é obrigado a abrir uma poupança pessoal para depositar uma quantia todo mês para conseguir se aposentar. E piora. Os bancos serão responsáveis pela administração da conta. Quer dizer, cobram taxas e ainda podem utilizar parte do dinheiro para especular no mercado financeiro. Enquanto os trabalhadores perdem, os cofres das organizações financeiras vão engordar ainda mais com a privatização. 

Fonte: O Bancário

15 mar 2019

Reforma libera demissão de bancário aposentado

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

A reforma da Previdência que o governo Bolsonaro tenta impor ao brasileiro é muito pior do que se possa imaginar. Um dos pontos da proposta prevê a demissão de empregados das estatais aposentados. Quer dizer, bancário aposentado poderá ser desligado automaticamente. 

A medida acelera o enxugamento do quadro de pessoal dos bancos públicos, ajudando a torná-los mais atrativos no plano de privatização das estatais. Um boletim do extinto Ministério do Planejamento aponta que as empresas públicas brasileiras têm cerca de 500 mil funcionários. Desses, 67,7 mil têm mais de 56 anos e já se aposentaram ou estão aptos a se aposentarem. Milhares fazem parte do quadro do BB e da Caixa.

Vale destacar que em 2006 o STF (Supremo Tribunal Federal) julgou inconstitucional um trecho da CLT, modificado em 1997, que previa a dispensa dos funcionários das estatais que se aposentavam. A política neoliberal imposta naquele período, com o governo FHC, entregou bancos importantes às empresas privadas, como o BANEB, Banespa e BANERJ.

Foram anos difíceis para os bancários. O neoliberalismo, imposto pelo capital internacional para reestruturação do capitalismo, fez um verdadeiro estrago e a categoria foi uma das que mais sentiu com as privatizações, o congelamento dos salários e o aumento do desemprego. 

Agora, com Bolsonaro, o cenário é ainda mais nebuloso. A proposta de reforma da Previdência, por exemplo, também aumenta a idade mínima e o tempo de contribuição para o cidadão ter direito à aposentadoria e cria o sistema de capitalização, que reduz o valor do benefício. 

Fonte: O Bancário

15 mar 2019

Defender o BNB é um papel de todo nordestino

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comunicou a fusão do BNB ao BNDES. Um absurdo. O Banco do Nordeste é o principal fomentador do desenvolvimento rural e maior financiador do pequeno agricultor. Os interesses de um banco divergem completamente do outro. Portanto, não faz sentido e nem beneficiaria o Nordeste em nada.

O BNB em mais de 60 anos tem sido um grande instrumento para o desenvolvimento da região. Só em 2018, na Bahia financiou mais de R$ 8 bilhões em infraestrutura. É a principal instituição financeira de desenvolvimento regional, não só da Bahia, mas da América latina e cumpre papel essencial na região. 

Defender o Banco do Nordeste é lutar para a continuidade do progresso da Bahia e de todos os estados da região. “Não podemos imaginar essa instituição ser entregue a uma iniciativa privada, é preciso defender o BNB e seus trabalhadores”, afirmou o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA).

Fonte:

15 mar 2019

Aprovado PL que torna assédio moral crime

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Uma vitória importante a todos os trabalhadores que já foram vítimas de assédio moral no ambiente de trabalho. Foi aprovado na última terça-feira (12/03), na Câmara Federal, um projeto de lei que torna crime o assédio moral no trabalho. Outro ponto do projeto é a definição deste tipo de prática.

O texto, que agora segue para o Senado, define assédio moral como “ofender reiteradamente a dignidade de alguém, causando-lhe dano ou sofrimento físico ou mental, no exercício de emprego, cargo ou função”. 

A proposta apresentada prevê a inclusão do assédio moral no Código Penal e define que a pena para o crime será detenção de um a dois anos, podendo ser aumentada em um terço se a vítima for menor de 18 anos.

Para os relatores do projeto, configura o assédio moral toda situação que a dignidade da pessoa for afetada de forma intencional e repetida, e não de maneira esporádica decorrente de um fato isolado.

Fonte: O Bancário