13 jun 2018

Pauta do BNB será entregue nesta quarta-feira

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Os funcionários do BNB entregam a pauta específica de revindicações nesta quarta-feira (13/06), às 9h, em São Paulo. A minuta contempla a inclusão de todos os bancários no novo PCR (Plano de Cargos e Remunerações), manutenção de direitos e melhores condições de trabalho.

O documento, que foi aprovado no 24º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil, realizado em maio, em Fortaleza (CE), também inclui mais transparência nos processos de concorrência; garantia de direitos em casos de reestruturação; Camed, Capef e PLR para todos, além de inclusão de todos os funcionários no Acordo Coletivo, sem levar em conta o conceito de remuneração hipersuficiente.

Fonte: O Bancário

13 jun 2018

Copa altera horário das agências. Se ligue

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Não tem jeito. O futebol contagia os brasileiros que estão em contagem regressiva para a Copa do Mundo da Rússia. E mesmo do outro lado do mundo, vai alterar o funcionamento do comércio e serviços. As agências bancárias, por exemplo, vão funcionar em horário especial nos dias de jogos da seleção brasileira.

Os dias em que a partida acontecer às 9h, horário do segundo jogo do Brasil na competição, dia 22 de junho, as unidades das capitais e do interior abrem das 13h às 17h.

Já os jogos marcados para 11h o funcionamento será das 8h30 às 10h30 e das 14h às 16h. Na primeira fase da competição, não há partida da seleção nesse horário. Quando acontecer às 15h, caso do terceiro jogo na fase de grupos, dia 27 de junho, as agências abrem às 9h e fecham às 13h.

O comunicado foi feito pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), depois de deliberação do Banco Central. Segundo circular do BC, contudo, as agências devem afixar nas dependências aviso sobre o horário de atendimento nos dias dos jogos, com antecedência mínima de dois dias úteis.

Fonte: O Bancário

13 jun 2018

No Brasil, juros altos, desemprego e inadimplência

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O Brasil encerrou maio com 63,29 milhões de pessoas inadimplentes, crescimento de 2,78% em relação ao mesmo mês de 2017. Os dados do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) mostram que o Sudeste teve a maior taxa, com 8,7%.

Nas demais regiões, a alta foi menor. No Nordeste 2,95%, Centro-Oeste 2,27%, Norte 1,55% e Sul 1,08%. Reflexos reais da redução salarial advinda da reforma trabalhista e das altas taxas de juros bancários.

Ao contrário do que os economistas apontam como fim da recessão, os dados desmentem falácias que tentam aplacar a austeridade econômica do governo Temer. São mais de 91 milhões de pessoas em trabalhos informais, que atualmente ganham até 10% menos do que há quatro anos, segundo o IBGE. Um mercado de trabalho desaquecido e mais de 13 milhões de desempregados.

Além de não poder comprar, o brasileiro não consegue pagar o que deve, sobretudo nos cartões de crédito ou cheque especial que têm taxas de juros altíssimas ao ano, chegando a uma média de 322,98%, dados da Associação Nacional dos Executivos de Finanças.

Fonte: O Bancário

13 jun 2018

Bancos exploram brasileiros com juros altos

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Como se não bastasse a exploração por parte do governo federal, o brasileiro ainda sofre com os altos juros cobrados pelos bancos. O cheque especial atingiu 321% ao ano em abril passado. A taxa absurdamente alta mostra a total falta de compromisso do setor mais lucrativo do país com a economia.

Os bancos lucraram mais de R$ 70 bilhões no ano passado. Muito às custas das tarifas e juros pagos pelos brasileiros e as metas impostas aos funcionários. Em 2018, o resultado continua extremamente elevado. No primeiro trimestre foi de R$ 19,89 bilhões.

Não é só com o cheque especial que as organizações financeiras exploram. A taxa do cartão de crédito também é elevada, chegando a 238,7% em abril para aquele cidadão que paga o mínimo da fatura.

É, viver no Brasil está ficando cada dia mais difícil. Bancos e governo tiram o que podem o brasileiro que trabalha só para sustentar um sistema extremamente excludente e que já não se sustenta mais.

Fonte: O Bancário
13 jun 2018

Bancários vão até o fim para garantir direitos

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Pesquisa realizada pelo movimento sindical sobre a campanha salarial dos bancários aponta que os trabalhadores estão dispostos a paralisar as atividades, caso os bancos não atendam reivindicações da categoria. No total, 60% afirmam que devem aderir ao movimento.

Os dados foram coletados pelos sindicatos de todo país, por meio de formulários e pela internet. Com a grande maioria disposta a aderir à possível greve mostra que os funcionários entenderam que os direitos podem não existir mais a partir do dia 31 de agosto. A mobilização é a única forma de garantir todas as conquistas obtidas ao longo de décadas de lutas.

O levantamento também aponta que para 25% a prioridade é a conquista do aumento real de salário. Outros 23% salientam a manutenção de todos os direitos, 18% querem políticas contra o assédio moral. Para 15%, a manutenção do emprego deve ser prioridade e 14% acham que o acordo deve ter cláusulas para impedir a terceirização. Estas são as principais reivindicações da pauta de reivindicações.

Fonte: O Bancário

13 jun 2018

Brasileiros recorrem mais a empréstimos. Um risco

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

As famílias brasileiras estão realizando mais empréstimos, mesmo com um cenário ainda ruim, de crise econômica e incertezas com relação ao futuro. Pelo menos é o que mostra levantamento feito com base em dados do Banco Central.

A sondagem aponta que as concessões de crédito para pessoa física cresceram 8,3% de 2017 para 2018. O financiamento de carros é o destaque, com crescimento de 39% entre abril de 2017 e o mesmo mês deste ano. Embora o levantamento aponte como o bom sinal, na verdade, não é.

A política neoliberal imposta pelo governo Temer impõe ao brasileiro um cenário de perdas. Direitos garantidos pela CLT acabaram com a reforma trabalhista, o desemprego está em alta, o salário achatou e o custo de vida está cada dia mais elevado. Basta analisar o preço da gasolina. Em Salvador, perto dos R$ 5,00.

Diante da situação ruim, o ideal mesmo é que o cidadão fuja do empréstimo. Os juros cobrados pelos bancos são altíssimos e ainda há muitas incertezas sobre a economia nacional. Por isso, o recomendado é fugir de qualquer tipo de crédito, seja consignado ou cheque especial. No final, a conta certamente vai sair bem cara.

Fonte: O Bancário

13 jun 2018

Maioria acha que economia piorou após o golpe

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Não precisa pensar muito para constatar que a situação do país piorou após o golpe jurídico-midiático-parlamentar de 2016. A maioria da população sabe. A cada dez brasileiros, sete avaliam que a economia se deteriorou.

Segundo pesquisa do Datafolha, 72% dos brasileiros enxergam uma piora do cenário. O descrédito em relação à gestão do governo neoliberal só aumenta. Em abril, por exemplo, o índice era de 52%.

Quando se trata da situação econômica pessoal do cidadão, 49% dizem ter passado por retrocesso. Há dois meses, o patamar era de 42%. A descrença do brasileiro é a maior na gestão Temer.

Não é para menos. Desde 2016, o governo tomou uma série de medidas que beneficiaram o grande capital em detrimento da população. Aprovação da terceirização sem limites, reforma trabalhista, cortes em programas sociais, imprescindíveis para o desenvolvimento do país e para o bem estar do cidadão. Viver no Brasil não está fácil.

Fonte: O Bancário

Com o cenário de severos ataques aos direitos trabalhistas, a campanha salarial dos bancários 2018 será de resistência. Com o slogan Todos por Tudo, a mídia deste ano mostra que a categoria está disposta a lutar pela garantia de direitos.

Os trabalhos desenvolvidos pelo Coletivo de Comunicação e profissionais da área resultaram em uma mídia que alerta sobre o risco da perda dos direitos dos bancários e dialoga com toda a categoria e com os clientes, que pagam altas taxas. Os materiais foram apresentados na 20ª Conferência Nacional, em São Paulo.

O diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia, Adelmo Andrade, destaca que é essencial que as entidades reproduzam os materiais com a ênfase para tornar mais fácil a campanha salarial. “Esta Conferência é vitoriosa e a mídia da campanha é reflexo disso”, ressaltou.

Fonte: O Bancário

11 jun 2018

Pauta específica nas mãos do Bradesco nesta segunda

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Ampliação dos postos de trabalho, garantias das cláusulas do acordo coletivo e mais crédito para desenvolver a economia. Esses são alguns pontos da pauta de reivindicações específica que será entregue ao Bradesco, nesta segunda-feira (11/06).

O documento foi aprovado durante encontro dos funcionários, encerrado na última sexta-feira (08/06), em São Paulo. Permeia a campanha nacional 2018 a difícil situação política econômica resultante do projeto do grande capital, sobretudo o sistema financeiro, e posto em prática por Michel Temer.

Como era de se esperar, os bancos privados não foram atingidos. Pelo contrário. Os números mostram. Em 2017, o Bradesco obteve lucro recorde de R$ 19 bilhões, crescimento de 11% em relação a 2016. A elevação é proveniente de altíssimas taxas, redução da carteira de crédito, serviços cobrados dos clientes, redução de postos de trabalho, fechamento de agências. Lucro às custas do trabalhador. Absurdo.

O banco ainda cortou 7,4 mil postos de trabalho, por meio de programa de demissão voluntária. Somente nos primeiros três meses de 2018 foram eliminados 1.215 postos de trabalho. E das 845 agências obtidas com a aquisição do HSBC, 629 foram fechadas. Os dados mostram que o banco não contribui com o desenvolvimento econômico.

Fonte: O Bancário
11 jun 2018

No Banco do Brasil, pauta fechada no 29º CNFBB

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Defender os bancos públicos dos ataques do governo neoliberal é um dos principais objetivos dos bancários do Banco do Brasil nesta campanha salarial. A pauta aprovada no 29º Congresso Nacional dos Funcionários do BB, encerrado nesta sexta-feira (08/06), contempla ainda outras queatões.

Melhoria das condições de trabalho nas agências com contratação de funcionários e dos escritórios digitais; defesa da Cassi; rejeição às propostas da consultoria Accenture, contratada pelo banco, que apresenta em seu relatório modelos de governança que incluem no nível diretivo gestores externos ao corpo de associados e para a Cassi, que quebra a solidariedade e penaliza os menores salários estão no documento.

Ampliar a lutar contra a resolução 23 da CGPAR (Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União); revisão da tabela PIP no Plano Previ Futuro para melhoria do benefício; inclusão dos planos de saúde e previdência dos bancos incorporados na mesa de negociação; acordo coletivo para todos os funcionários sem a discriminação da nova lei trabalhista e a manutenção da minuta de reivindicação dos funcionários do BB completam as demandas específicas.

O 29º CNFBB aprovou resoluções políticas, como o apoio à posse de Paula Goto eleita na Diretoria de Planejamento da Previ; as moções de repúdio contra as práticas antissindicais da instituição ao gerente executivo João Gimenez, que fez ataques aos representantes eleitos nas entidades sindicais em; e ao ataque e perseguição ao companheiro Sebastián Romero, que sofre perseguições na Argentina.

Fonte: O Bancário