O vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues (DEM-RR), informou que a votação em segundo turno da reforma da Previdência deve ocorrer no dia 22 de outubro.

A oposição foi contra a redução de prazos que possibilitaria a votação da PEC 6/2019 ainda nesta semana e quer uma decisão sobre a divisão dos recursos do pré-sal, antes da votação em segundo turno no Plenário.

Os parlamentares que são contra a proposta de Bolsonaro, condenada pelo movimento sindical brasileiro, querem amenizar as perdas impostas à classe trabalhadora pela reforma.

Fonte: Agência Senado via CTB

15 out 2019

Câncer de Mama: a prevenção é fundamental

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria
[Câncer de Mama: a prevenção é fundamental ]

Cuidar da saúde ainda não é uma prioridade para os brasileiros, especialmente as mulheres, que quase não tem tempo para equilibrar os compromissos e ainda fazer exames frequentemente. Acontece que existem muitas doenças silenciosas, que começam a dar sinais visíveis apenas em estado avançado. É o caso do câncer de mama.


De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), são estimados cerca de 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019. Por isto, o Outubro Rosa tem o intuito de conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção desde 2002.


Apesar de ser o tumor que mais mata mulheres no Brasil, atingindo 29% da população no país, elas ainda ainda o ignoram. Isso porque, para algumas, não é necessário realizar exames preventivos.


Pesquisa feita pelo Ibope Inteligência também apontou que cerca de 77% das mulheres relataram confiar mais na própria avaliação feita em casa. Absurdo. No entanto, a mamografia, exame ideal para a detecção, consegue descobrir tumores logo no início, quando têm apenas milímetros. Algo impossível só com o toque. 


Por ser uma doença silenciosa e atemporal, é necessário realizar a maomagrafia anualmente. Mas, a pesquisa também mostrou  que 53% das entrevistadas acreditam que o exame não precisa ser repetido futuramente quando não são encontradas alterações. A sociedade médica recomenda que quem tem mais de 40  anos dve realizar o exame uma vez por ano. 


A justificativa de 73% é que não possui casos de câncer na família. Porém, vale lembrar que o tumor genético só alcançou 10% dos casos até hoje. Os demais fatores de risco são relacionados à menopausa tardia, primeira menstruação precoce, abusar do álcool e consumir alimentos processados. Previna-se. O caso é sério.

Fonte: O Bancário

O cantor, compositor e escritor Chico Buarque rebateu nesta quarta-feira, 9, por meio de um post em seu perfil no Instagram, a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que tem até dezembro de 2026 para assinar o diploma do Prêmio Camões, concedido pelos governos de Brasil e Portugal.

“A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prêmio Camões”, afirmou Chico. A premiação é a mais importante condecoração literária em língua portuguesa. Ele foi escolhido vencedor pelo conjunto de sua obra.

Pelas regras da premiação, os governos brasileiro e português pagam cada um 100 mil euros (o que equivalente a cerca de  450 mil reais). A parcela do Brasil já foi paga em junho. A questão pendente é Bolsonaro assinar o diploma para um artista que considera desafeto político, que critica abertamente o seu governo e apoia ostensivamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – em setembro deste ano, ele visitou o petista na prisão em Curitiba e pediu a sua libertação.

“É segredo. Chico Buarque?”, disse o presidente, ao ser questionado por jornalistas na chegada ao Palácio da Alvorada. “Eu tenho prazo? Até 31 de dezembro de 2026, eu assino”, respondeu, fazendo alusão a um segundo mandato, já que o seu atual termina em dezembro de 2022.

O Prêmio Camões foi instituído em 1989 por Brasil e Portugal. De acordo com o Ministério da Cultura de Portugal, a escolha reconhece anualmente “escritor cuja obra contribua para a projeção e o reconhecimento da língua portuguesa”.

Obra

Chico Buarque, 74 anos, estreou como escritor de ficção em 1974, com a novela Fazenda Modelo. Em 1979, publicou o livro infantil Chapeuzinho Amarelo. O primeiro romance, Estorvo, foi lançado em 1991. Quatro anos depois lançou o segundo, Benjamin. Em 2003, publica Budapeste; em 2009, Leite Derramado e em 2014, O Irmão Alemão. Ele escreveu as peças de teatro Roda Viva (1968); Calabar (1972); Gota D’Água (1974), e Ópera do Malandro (1978).

O autor é o 13º brasileiro a receber o prêmio que já foi conferido, entre outros, a Raduan Nassar (2016), Ferreira Gullar (2010), Lygia Fagundes Telles (2005), e Jorge Amado (1994). A premiação foi anunciada em maio pela Biblioteca Nacional pelas redes sociais.

O júri foi formado por Manuel Frias Martins, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários; Clara Rowland, professora associada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Antonio Cícero, ensaísta brasileiro e poeta; Antonio Hohlfeldt, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Ana Paula Tavares, poeta angolana e professora universitária em Lisboa; e Nataniel Ngomane, professor da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Eduardo Mondlane em Moçambique.

Fonte: Veja via Portal CTB

10 out 2019

Trabalhadores celebram dia dos Correios

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O Dia Mundial dos Correios é comemorado todos os anos no dia 9 de outubro, o aniversário da criação da União Postal Universal (UPU) em 1874 na capital suíça, Berna.

Foi declarado Dia Mundial dos Correios pelo Congresso UPU realizada em Tóquio, no Japão, em 1969.

O objetivo do Dia Mundial dos Correios é criar consciência sobre o papel do serviço postal na vida cotidiana das pessoas e das empresas e sua contribuição para o desenvolvimento social e econômico dos países. A celebração incentiva os países membros para realizar as atividades do programa destinadas a gerar uma maior consciência sobre o papel e as atividades de sua Mensagem entre o público e a mídia em escala nacional.

Correios no Brasil

A instituição da atividade postal regular no Brasil se deu em 25 de janeiro de 1663 quando foi criado os Correio-mor do Brasil.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT só foi criada no ano de 1969 na tentativa de modernizar o serviço postal.

Essas mudanças buscavam atender às novas necessidades de uma clientela que precisava de um serviço mais ágil e rápido de trocas de correspondências. Assim, a ECT se desenvolveu, se agigantou e passou a oferecer produtos e serviços que correspondem a realidade e as necessidades de seus clientes.

E atualmente existem pelo menos uma unidade dos Correios em cada um dos 5.561 municípios brasileiros. Os Correios constitui um importante fator de integração nacional pela natureza dos serviços que presta, isto é, por proporcionar trocas tanto entre os grandes centros urbanos, quanto nos lugares os mais remotos e de difícil acesso.

A Empresa de Correios e Telégrafos possui uma forte presença na vida de todos os brasileiros que contam com mais 12 mil agências, se tornando algo imprescindível no dia-a-dia das pessoas e empresas.

Curiosidades

E somente em 1929 foi elaborado o Código Postal Universal que viria a legislar e apresentar soluções para os problemas postais modernos, o que deu início a uma nova era na história dos Correios.

No Brasil, no ano de 1931, foi criado o Departamento de Correios e Telégrafos – o DCT, subordinado ao Ministério da Viação e Obras Públicas. E no mesmo ano, criou-se o Correio Aéreo Militar, que deu origem ao Correio Aéreo Nacional, permitindo a remessa de correspondências a lugares quase inatingíveis.

Defender os Correios Estatal, 100% público e de qualidade é dever de todos brasileiros. Defender a empresa que integra toda população e municípios é defender a soberania do Brasil e do seu povo. Diga não à privatização dos Correios!

FINDECT em defesa dos trabalhadores dos Correios!

Fonte: Portal São Francisco via Portal CTB

10 out 2019

A política de privatização de empresas estatais

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Publicado 09/10/2019 – Atualizado 09/10/2019

Desde o início do mandato, Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, vêm anunciando a venda de várias empresas públicas que pertencem à União. E a #privatização dessas empresas vai afetar diretamente a sua vida.

Fonte: Portal CTB

Por Adilson Araújo, presidente da CTB

Nesta quarta-feira (09) um grupo de parlamentares encabeçado pelos deputados federais Marcelo Ramos (PL-AM) e Paulinho da Força (Solidariedade-SP) protocolou na Secretaria Geral da Mesa da Câmara dos Deputados uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que extingue a Unicidade Sindical e institui o pluralismo.

Embora respaldado pelas cúpulas de algumas centrais, contrariando neste caso as próprias bases, trata-se de mais um golpe contra o movimento sindical e a classe trabalhadora, orientado pela mesma lógica da reforma trabalhista, que acabou com o Imposto Sindical, da terceirização irrestrita, das MPs 873 (que adicionou novas dificuldades ao financiamento das entidades sindicais) e 881 (da intitulada Liberdade Econômica, que também mutilou direitos trabalhistas), e outros retrocessos impostos pelos governos Temer e Bolsonaro.

Pulverização

Ao permitir a criação de mais de um sindicato numa mesma base e extinguir o conceito de categorias profissional e econômica, restringindo o alcance das convenções e acordos coletivos aos sócios dessas entidades, a proposta assinada por Marcelo Ramos acena para a pulverização e o caos na organização da classe trabalhadora.

Ao contrário do que ocorre hoje, com a Unicidade, que só admite a criação de uma entidade numa mesma base (tendo por universo mínimo o município), uma dezena ou mais de sindicatos pode reivindicar e disputar a representação de uma mesma categoria. Obviamente isto significa divisão e dispersão das bases, o que só beneficia o patronato.

O projeto também prevê que as convenções e acordos coletivos “só alcançarão os associados das entidades sindicais”. Conforme observou o jornalista João Franzin “menos de 5% das empresas são associadas a sindicatos. Então eu pergunto: elas serão obrigadas a cumprir as normas celebradas em convenções ou acordos coletivos ou a imensa legião de empregados dessas empresas ficará à margem dos benefícios das convenções, acordos e normas coletivas negociadas pelos sindicatos?”  

Quem vai lucrar?

O lucro extraordinário que o capital vai usufruir se conseguir se eximir do pagamento de direitos e benefícios hoje extensivos a dezenas de milhões de trabalhadores e trabalhadoras que são ou não sindicalizados ou trabalham em empresas não sindicalizadas, não será pequeno ou desprezível.

Parece óbvio, igualmente, que a exclusão dos não sócios tanto dos acordos e convenções quanto do financiamento das entidades sindicais divide e enfraquece a luta sindical também por outros caminhos e motivos. Com certeza vai estimular as práticas antissindicais do patronato, já que o trabalhador não sindicalizado vai lhe “custar menos”. Seria uma tragédia para o sindicalismo no campo e na cidade, que já amargou inúmeros retrocessos desde 2016.

Hoje, as mobilizações e ações que precedem as negociações coletivas (como a greve) não se restringem aos sócios, abarcam o conjunto das categorias. Mas quem (entre a massa majoritária de não sócios) participaria de uma paralisação que embute riscos (desconto dos dias parados e, não raro, demissão) sem a perspectiva de quaisquer benefícios?

Teríamos lutas restritas aos sócios, que (salvo honrosas exceções) nunca foram e não são maioria da base sindical, seja de empregados ou empregadores. Com isto morre também o princípio solidário que deu origem à organização sindical, instituída pela própria classe trabalhadora com o propósito de lutar contra a exploração e opressão capitalista.

A luta já não seria feita em nome da classe, mas para benefício de uma parcela minoritária constituída pelos sindicalizados e, em primeiro lugar, da própria máquina sindical. Estaríamos bem mais próximos do chamado sindicalismo de negócio, desconectado das amplas massas trabalhadoras.

São muitas as razões que justificam a posição firme da CTB, reiterada na 21ª Reunião da Direção Executiva, em defesa da Unicidade Sindical e contra o pluralismo. É esta, também, a opinião majoritária nas entidades sindicais brasileiras.

Fonte: Portal CTB

10 out 2019

Lucro da Caixa com FGTS de R$ 684 mi em 2019

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria
[Lucro da Caixa com FGTS de R$ 684 mi em 2019]

Com o governo Bolsonaro não dá para vacilar. Somente com muita pressão os brasileiros podem evitar mais retrocessos. Depois da repercussão negativa sobre dar parte dos recursos do FGTS para os bancos privados, tirando da Caixa a exclusividade no gerenciamento, o governo voltou atrás.  


Na sequência, o presidente do banco, Pedro Guimarães, informou que o lucro da instituição financeira com a administração do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço deve chegar a R$ 684 milhões neste ano. 


A dimensão do ganho ajuda a explicar o interesse dos bancos privados no FGTS: aumentar os lucros, somente. Utilizado para financiar projetos de inclusão social como o Minha Casa, Minha Vida, o recurso é muito importante para o país.

Fonte: O Bancário

[Encontro da Juventude: inscrição até terça-feira]

O bancário associado ao Sindicato da Bahia com até 35 anos precisa correr e se inscrever até terça-feira (15/10) para participar do 7º Encontro da Juventude da Bahia e Sergipe. É só enviar e-mail para presidencia@bancariosbahia.org.br, com nome completo, banco, agência, idade e telefone com Whatsapp. As vagas são limitadas.


O evento acontece nos dias 26 e 27 de outubro, no hotel Águas Claras Beach Resort, em Saubara. Sem dúvidas, uma excelente oportunidade de ampliar o debate sobre temas como o futuro das relações de trabalho com as novas tecnologias e o trabalho no setor bancário. A atual conjuntura de ataques aos direitos dos trabalhadores também estará em pauta.


No primeiro dia do encontro, será aberta a arena de debates e de troca de ideias. O primeiro bloco começa às 10h, com o tema Para onde caminha a humanidade?. O presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Altamiro Borges, a presidenta da UJS, Carina Vitral, e o secretário geral da Federação da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza, participam desta etapa.


Às 14h começa o segundo bloco. Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, o presidente da Feeb, Hermelino Neto, e a secretária da Juventude Trabalhadora da CTB, Luiza Bezerra participam das discussões sobre O futuro do trabalho nos bancos.


Logo depois terão início os grupos de trabalho. Os relatórios serão apresentados às 18h e, em seguida, uma confraternização para os jovens bancários.
Já no dia do evento, 27, será o momento da aprovação das Resoluções, Carta de Saubara e renovação da Comissão da Juventude Bancária da FEEB-BA/SE.

Fonte: O Bancário
 

10 out 2019

Dívida pública causa rombo nos cofres da União

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria
[Dívida pública causa rombo nos cofres da União]

O governo mente. Para ganhar apoio da sociedade, divulga que a Previdência Social é responsável por um rombo bilionário nas contas públicas. Uma farsa. O que causa um déficit estrondoso à União é a dívida pública federal, resultado do pagamento de juros aos bancos. 


Em agosto, o valor subiu nada menos do que R$ 81 bilhões, chegando a marca dos R$ 4,07 trilhões. O número da Secretaria do Tesouro Nacional, órgão do Ministério da Economia, que já é surreal, pode ser ainda maior. De acordo com a Auditoria Cidadã, o valor atingiu R$ 5,9 trilhões em agosto.


Não é só isso. Em 2018, mais de 40% do orçamento federal foram usados para o pagamento de juros e amortização da dívida pública (cerca de R$ 1 trilhão), enquanto a Previdência representou menos de 25% das despesas. Mesmo ciente das mentiras contadas pelo governo, a maioria dos parlamentares é a favor da proposta que agrada apenas ao mercado financeiro. 


Os deputados aprovaram a reforma nas duas votações ocorridas da Câmara. Pelo Senado, o projeto passou em primeiro turno. A votação em segundo turno prevista para esta semana deve ocorrer entre os dias 22 e 23 de outubro.   


Se concretizar realmente, como vem se desenhando, a reforma que muda as regras da aposentadoria causará forte impacto na população. Milhões de brasileiros vão perder o direito ao benefício e outros milhões receberão bem menos. Uma medida que vai jogar muita gente na pobreza total.

Fonte: O Bancário

10 out 2019

Contraceptivos gratuitos estão longe do ideal

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria
[Contraceptivos gratuitos estão longe do ideal]

O planejamento familiar deveria ser direito de todo cidadão e a oferta de formas de contracepção gratuitas no país está longe ideal. Somente nove capitais oferecem todos os métodos contraceptivos que constam na Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), determinada pelo Ministério da Saúde.


Segundo dados do MUNIC, o perfil dos municípios brasileiros do IBGE, apenas Manaus (AM), Brasília (DF), Vitória (ES), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Natal (RN), Florianópolis (SC) e Palmas (TO) integram a lista. 


Os métodos que devem ser ofertados pelo SUS, conforme o artigo primeiro da lei do planejamento familiar, são pílulas anticoncepcionais regulares, pílulas do dia seguinte, anticoncepcionais injetáveis, diafragma, DIU (Dispositivo Intrauterino) de cobre e preservativos masculino e feminino. O que mais está em falta é o diafragma.

Fonte: O Bancário