Comandar uma entidade do porte da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe requer muito trabalho, principalmente neste momento de tantos ataques aos direitos dos brasileiros. Mas, o novo presidente da entidade Hermelino Neto, que tomou posse na última sexta-feira (12/1), se mostra preparado para tocar os rumos da entidade, que é referência para o movimento sindical bancário brasileiro.

“Assumir a presidência da Federação não será uma tarefa fácil. Entretanto, eu me sinto preparado para esse desafio e farei uma gestão democrática e de muita ação. Sei também que poderei contar com a ajuda de todos os diretores e diretoras da entidade, assim como dos sindicatos filiados”, ressaltou o novo presidente.

Neto, como é mais conhecido, é professor de História e funcionário do banco Itaú da base do Sindicato dos Bancários da Bahia. Ele está a mais de 20 anos na Feebbase, onde já foi segundo secretário, vice-presidente e secretário Geral.  Neste tempo, acumulou experiência e a bagagem necessária para assumir a presidência da entidade, mesmo em um momento de intensas lutas e muitos ataques aos direitos da categoria.

“Os desafios são enormes. Estamos em uma luta constante pela manutenção dos direitos, não apenas da categoria bancária, mas de todo o povo brasileiro. Logo ano início do ano, já estamos enfrentando a luta em defesa dos bancos públicos e da Previdência Social, que estão sob forte ataque do governo Temer. Vamos continuar mobilizados também contra a terceirização e a reforma trabalhista, que precariza as relações de trabalho e busca também enfraquecer as entidades sindicais, seja na sua representatividade ou no corte do financiamento. Temos que ser fortes para enfrentar a situação. A Federação terá que criar estratégias para resistir e avançar na sua missão de defender os bancários e a classe trabalhadora”, disse.

Em sua posse, Neto assumiu ainda o compromisso de dar continuidade aos projetos desenvolvidos atualmente pela entidade. “Eu estou assumindo a Federação com muitas coisas boas construídas e nós temos que dar sequência a estas experiências e conquistas. O empenho que a Feebbase tem para trazer os jovens para discutir o mundo do trabalho e seu papel nos bancos é uma experiência extremamente positiva. O investimento na comunicação também foi importante e melhorou a nossa interação com os sindicatos e a sociedade em geral. Outra coisa importante é a questão de gênero. Vamos fortalecer ainda mais a luta pelos direitos da mulher. Esta será outra questão  que teremos que aprimorar. Vamos continuar trabalhando para  atrair mais mulheres para os sindicatos. O movimento sindical precisa renovar não apenas as ideias, ele precisa renovar os seus quadros também. É importante  a gente continuar fazendo este debate”.

“Outra coisa acertada é o investimento na área institucional. O resultado foi muito positivo, com a realização de muitas audiências nas casas legislativas e debates com a sociedade. Foi muito positivo tirar a Federação  exclusivamente do mundo sindical e inseri-la em projetos mais gerais da sociedade. Nós, dirigentes da Federação dos Bancários, temos que ter um papel importante nas bases dos nossos sindicatos e é importante que a gente ajude e motive esses sindicatos a fazer a luta, não apenas por salário, mas também a luta política e de transformação social”, destacou Neto.

No plano da organização dos bancários, Neto pretende trabalhar para manter o papel de destaque da Federação.  “Emanoel é uma referência nacionalmente e a importância que ele tem nessa luta da classe bancária não será perdida. Substituí-lo não será fácil, mas eu estou preparado e disposto para continuar essa luta que o Emanoel começou de forma excelente e referencial. Eu quero que a Federação esteja unida, porque o nosso projeto não é individual, é coletivo, temos que unificar o nosso discurso. Eu chego a esse cargo com o intuito de unificar, pois os problemas pequenos não podem sobrepor os grandes problemas”, concluiu.

Fonte: Feebbase

Com o orçamento limitado pela emenda constitucional que prevê um teto de gastos para o governo federal, as vítimas preferenciais da escassez de recursos em 2018 serão as áreas sociais, em especial a Educação.

Segundo um estudo da assessoria do PSol na Câmara, o governo Temer planeja gastar três vezes mais com juros da dívida pública do que com Saúde e Educação em 2018. Outro dado: a renúncia fiscal prevista para o ano – calculada em R$ 283 bilhões – é maior do que a despesa prevista para as áreas de Saúde, Educação e Ciência e Tecnologia (R$ 250 bilhões) no Orçamento.

A Emenda EC 95 limita as despesas públicas à inflação do ano anterior pelos próximos 20 anos. A justificativa do governo federal foi a necessidade do ajuste fiscal por conta do déficit fiscal, previsto no orçamento desse ano em R$ 157 bilhões.

Algumas áreas sofreram cortes que podem comprometer a continuidade de projetos. O Fundo Nacional de Assistência Social, que apoia serviços e programas de assistência social, teve perdas calculadas em 97%.

Em saneamento básico, a redução em relação ao ano passado é de 33%, uma decisão difícil de explicar, quando se leva em conta que metade dos brasileiros ainda não possui esgoto coletado em suas casas e 35 milhões de pessoas não têm acesso à água tratada. Na obtenção de imóveis para Reforma Agrária e na promoção da educação no campo, a redução chega a 86%.

O orçamento deste ano tem como uma das principais novidades a destinação de R$ 1,7 bilhão para o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), que vai custear com recursos públicos as campanhas dos partidos políticos.

Em contrapartida, foi vetado o recurso extra de R$ 1,5 bilhão para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que ajuda a custear o salário de professores de escolas públicas. O Palácio do Planalto justificou alegando que o Fundeb já possui previsão de R$ 14 bilhões para 2018.

“Temer e seu ministro Mãos de Tesoura voltam a atacar”, afirmou o senador Humberto Costa (PT-PE). “A área da Educação está sendo sucateada por esse governo que veio para destruir todos os avanços no setor. O veto vai atingir diretamente o Fundeb”, acrescentou Costa.

Esse foi o primeiro orçamento aprovado sob a égide da PEC do Fim do Mundo, que na prática reduz o tamanho do estado brasileiro, atacando principalmente os investimentos sociais.

“Esse recurso retirado da educação tem impacto grande, porque o efeito da crise econômica tem atingido muito os estados. O Fundeb serve exatamente para que a União cumpra o papel constitucional de dar suporte aos estados que estão sem condições de investir em serviços básicos, como a educação. Sem um recurso extra, reduz-se o efeito redistributivo do orçamento público federal, sobretudo, em regiões mais pobres, que são mais dependentes dele”, opinou o professor Eduardo Grin, do Departamento de Gestão Pública (GEP) da FGV EAESP.

Ele lembrou ainda que essa verba não entra no Teto de Gastos, pois não é primária, ou seja, não é impedida por nenhuma natureza legal, “é uma escolha política”. “Ele poderia ter negociado o fundo, mas sancionou”, reforçou.

Mais um dos destaques dos cortes no orçamento para este ano é nas universidades federais. Desde 2015, o ensino público vem sofrendo com o ajuste fiscal. Em 2017, foram diversos episódios de atrasos nos salários de professores e terceirizados em todo o país, além de interrupção de obras, greves e até falta de insumos básicos, como materiais de higiene e limpeza.

No planejamento do governo em 2018, o orçamento previsto é de apenas R$ 5 bilhões para universidades, enquanto em 2017 foi de R$ 8 bilhões e de R$ 15 bilhões em 2015, uma queda progressiva.

Na área de Ciência e Tecnologia, a redução é de R$ 2 bilhões em relação ao ano passado.

Fonte: Portal Vermelho

 

10 jan 2018

Trabalho infantil no mundo preocupa

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

De acordo com levantamento feito pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), pelo menos 152 milhões de crianças são vítimas de trabalho infantil no mundo. Ou seja, uma a cada dez são exploradas.

A maior concentração está no setor de agricultura (71%). Em seguida, aparece o de serviços e da indústria, especialmente na área de mineração (17% e 12%, respectivamente).

O relatório aponta ainda que 73 milhões das crianças realizam trabalho de risco. A ONU (Organização das Nações Unidas) estabeleceu uma meta para acabar com o trabalho infantil até 2025 e para o trabalho forçado até 2030. Mas, a humanidade não faz esforço.

Fonte: O Bancário

Após avaliação do TST (Tribunal Superior do Trabalho), a perversa reforma trabalhista, que prejudica os trabalhadores brasileiros, só poderá ser aplicada aos contratos firmados depois da aprovação, no dia 11 de novembro de 2017.

Para os ministros, a reforma não poderá retirar os direitos adquiridos do empregado. O documento foi elaborado pela Comissão de Jurisprudência do TST e será discutida no plenário do tribunal, em 6 de fevereiro.

A decisão representa uma pequena vitória para os trabalhadores, que continuarão com direitos garantidos, já que os empregadores estão utilizando lei imposta por Temer para cortar direitos e ganhar mais dinheiro.

No parecer, os artigos da lei destacam que só poderá valer para os contratos novos, o fim do pagamento pelo tempo de deslocamento entre a casa e o trabalho e a incorporação das gratificações e diárias de férias ao salário.

Para que seja validado, o documento terá de ser analisado pelos 18 ministros do TST. Se aprovado, a norma deverá orientar a decisão dos juízes em todo o país.

Fonte: O Bancário

Após reunião na segunda-feira (8), centrais sindicais (CTB, CUT, INTERSINDICAL, Nova Central, UGT e Força Sindical), juntamente com movimentos sociais, como Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a Marcha Mundial das Mulheres lançaram, em São Paulo, a campanha “Cadê a prova?”, para esclarecer à população que, mesmo provando sua inocência, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado pelo juiz da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, Sérgio Moro, no caso do chamado triplex do Guarujá que pertence à empreiteira OAS.

O julgamento de Lula segue agora em segunda instância e no próximo dia 24 será iniciada nova etapa pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre.

“Foi apresentado material de duas campanhas publicitárias: a “Cadê a Prova?” e ” EU VOU com Lula a Porto Alegre”. A Campanha “Cadê a Prova?” tem como objetivo dialogar esclarecer o que está por traz da campanha liderada pela grande mídia em torno desta questão”, externou o secretário nacional de Formação da CTB, Ronaldo Leite, que representou a central na ocasião.

Ele ainda indicou que foi proposto que o dia 13 de janeiro seja organizado um ”Dia Nacional de Criação de Comitê Populares em defesa do Direito de Lula a ser candidato e a apresentação de um calendário nacional de atividades em Porto Alegre. Além disso, foi consenso a criação de Comitê Sindical Nacional em defesa do direito de Lula a ser candidato”.

Leite ainda indicou que, em São Paulo, estão programadas uma grande vigília que começam na noite do dia 23 e um grande ato político, às 18h do dia 24, na Avenida Paulista, com a presença do ex-presidente Lula. “A defesa de Lula não anula as outras pré-candidaturas progressistas à Presidência. É a defesa da legitimidade de o povo escolher nas urnas o seu candidato”, reafirmou o dirigente.

Porto Alegre

Milhares de pessoas são esperadas para uma grande vigília na capital gaúcha, que começará no dia 23 e ocupará as ruas até o desfecho do julgamento, cujo início está marcado para as 8h30 do dia 24.

Fonte: Portal CTB

A 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT5-BA) decidiu, por unanimidade, que um supervisor administrativo da agência do Bradesco em Amargosa deverá receber uma indenização no valor de R$50 mil  por realizar transporte de valores e também diferenças salariais no percentual de 20% por acúmulo de função.

De acordo com o autor,  ele transportava  malas de dinheiro  “sem o aparato de qualquer tipo de segurança” para locais determinados pelo Bradesco. Segundo a relatora do acórdão, desembargadora Ivana Magaldi, a empresa transgrediu a lei que trata sobre segurança em bancos (lei 7.102/83), e  ainda atribuiu tarefas ao reclamante que exigiam treinamento, qualificação e proteção para sua segurança,  “considerando-se a gravidade do dano (exposição da integridade física e moral do autor) e a capacidade financeira do agressor, a quem a indenização deverá desestimular a continuidade de sua prática”. Ainda cabe recurso.

A decisão reformou a sentença da Vara do Trabalho de  Santo Antônio de Jesus, que reconheceu que o bancário exercia a função, mas que tal atividade “por si só não é suficiente para caracterização da ocorrência de dano moral”.

Demais pedidos

O trabalhador também pedia a diferença salarial por acúmulo de função. Para Magaldi, “a atribuição conferida ao empregado de transportar valores, não contratada originariamente, a despeito de sua proibição legal, deve gerar um plus salarial em seu benefício”, por isso, reforma a sentença para condenar o banco a pagar as diferenças salariais no percentual de 20% (e seus reflexos no 13° salário, férias , FGTS , horas extras, gratificações semestrais, PLR e aviso prévio, não sendo devidas, porém, diferenças no repouso semanal remunerado, que já se inclui no salário do mensalista).

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da Bahia via Feebbase

10 jan 2018

Aniversário da Caixa será de manifestação

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

A Caixa completa 157 anos nesta sexta-feira (12/01) com manifestações em todo o país. Em Salvador, o ato organizado pelo Sindicato dos Bancários da Bahia acontece na agência Iguatemi, a partir das 12h.

A mobilização reforça a luta contra a política de perdas imposta pelo governo Temer e o desmonte do banco público, um dos principais mantenedores dos programas de inclusão social. Também reivindica valorização dos empregados, que têm sofrido com as mudanças na gestão da empresa.

O ataque do governo à função social da Caixa prejudica os clientes. A instituição financeira é responsável pelo repasse de importantes programas, como o Bolsa Família. Também é líder na concessão de crédito habitacional, fundamental para que milhares de brasileiros realizem o sonho da casa própria.

A manifestação denuncia ainda a redução do quadro de pessoal, que precariza o atendimento. De janeiro a setembro do ano passado, mais de 7 mil postos de trabalho foram fechados no país. Significa menos bancário para atender uma demanda super elevada de mais de 86 milhões de clientes.

Fonte: O Bancário

A Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe- Feebbase convida toda a categoria para participar da posse de sua nova diretoria, que acontece na próxima sexta-feira (12/1), às 19h, na sede do Sindicato dos Bancários da Bahia em Salvador. O evento deve contar também com a presença de lideranças sociais, sindicais e políticas locais.

Eleita durante o 14º Congresso da Feebbase em dezembro de 2017, para o triênio 2018-2021, a nova direção é composta por 56 lideranças sindicais, que representam doze sindicatos filiados – Bahia, Sergipe, Feira, Conquista, Jequié, Jacobina, Juazeiro, Irecê, Ilhéus, Itabuna, Camaçari e Extremo Sul da Bahia.

A presidência será exercida por Hemrelino Neto, que é funcionário do Itaú e secretário Geral da Federação no mandato que se encerra. Com uma longa experiência no movimento sindical, Neto, como é mais conhecido, terá a tarefa de conduzir os rumos da entidade neste momento de tantas ameaças aos diretos dos bancários e da classe trabalhadora como um todo.

A nova diretoria conta ainda com quadros importantes do movimento sindical bancário, como José Antonio Santos, na Vice Presidência; Emanoel Souza, na Secretaria Geral; Francisco André Vieira, na Diretoria de Finanças; Luciana Pacheco, na Diretoria de Imprensa; Grassa Felizola, na Diretoria de Gênero e Ivânia Pereira na Diretoria de Relações Institucionais.

Conheça a nova diretoria completa:

Presidente -  Hermelino Souza Meira Neto

Vice-Presidente - José Antônio dos Santos

Secretário Geral -  EMANOEL SOUZA DE JESUS

2ª Secretária -  Thaise Mascarenhas de S. Cerqueira

Diretor de Finanças -   Francisco André da Rocha Vieira

2º Diretor de Finanças - Fernando Antônio Duarte Dantas

Diretora de Imprensa e Comunicação -  Luciana Pacheco de Melo

Diretora de Administração e Patrimônio - Rosana Maria Ribeiro Paraízo

Diretor para Assuntos Jurídicos - Claudevir Costa Moraes Filho

Diretora de Formação Sindical - Maria da Conceição S. Rebouças

Diretora para Assuntos de Gênero - Maria das Grassas S. Felizola Andrade

Diretora de Saúde do Trabalhador - Andreia Sabino Macedo

Diretor para Assuntos Sócio-Econômicos - Wagner Soares Moreira

Diretor de Cultura - Flavio José Barreto Oliveira

Diretor de Política Sindical - Eduardo C. B. Navarro de Andrade

Diretora de Relações Institucionais - Ivânia Pereira da Silva Teles

Diretor de Esporte -  Erivaldo Sales Ferreira

Diretor de Juventude - TIAGO CÉSAR V. T. DO NASCIMENTO

Diretoria Executiva

Edmilson Almeida Cerqueira

Luiz Dantas Bacelar

Fábio Nóia da Silva

Everaldo Augusto da Silva

João Milton da Silva Santos

Cláudio Menezes de Morais

Vanessa Bianca Neves Amorim

Aderbal Batista N. Teixeira Filho

Diretorias Regionais

Diretoria Regional dos Bancários da Bahia

Efetivo -           Waldenir Sidney Fagundes Britto

Suplente -        Luis Adenor Rios Cerqueira

Diretoria Regional do Extremo Sul da Bahia

Efetivo - Adilson Ferreira de Souza

Suplente - Jilson Brito de Almeida

Diretoria Regional de Feira de Santana

Efetivo -           Gonçalo Teixeira Rodrigues

Suplente-         José Ferreira Venas Filho

Diretoria Regional de Ilhéus

Efetivo -           Wagner Bransford Leal

Suplente-         Amaury Carneiro Freitas

Diretoria Regional de Irecê

Efetivo -           Iamar Rachel Freire de Oliveira

Suplente -        Paulo Sérgio Azevedo Silva

Diretoria Regional de Itabuna

Efetivo -           Valter Luís de Oliveira Moraes

Suplente -        Ricardo Carvalho da Silva

Diretoria Regional de Jacobina

Efetivo -           Cristener Inácio Albuquerque

Suplente -         Luiz Raimundo Olympio P. de Azevedo

Diretoria Regional de Jequié

Efetivo -           Marcel Cardim Santana

Suplente -        Fabiano Nascimento Miranda

Diretor Regional de Sergipe

Efetivo -           Alessandra Cunha Gois Sales

Suplente -        José Elson Silva

Diretoria Regional de Vitória da Conquista

Efetivo - Cátia Rose Ferraz Flores

Suplente - Milton Fernandes Dias

Conselho Fiscal – Efetivos

João Marcos Marques Silva Couto

Nancy Alves de Andrade

Samio Cássio de Carvalho Melo

José Guilherme Martinez Santos

Mário Feitosa Melo

Conselho Fiscal – Suplentes

Maribaldes da Purificação Silva

Maria Elenilde da Paixão Navarro

Robério Ismerim do Sacramento

Ivan Ney de Paula Castro

Roque de Jesus Santana

Fonte: Feebbase

10 jan 2018

Brasileiros querem cortar gastos em 2018

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Preocupados com o reflexo da crise política e econômica no bolso, os brasileiros pretendem puxar o freio de mão e conter os gastos. Neste ano, 48% dos consumidores querem reduzir o consumo, segundo pesquisa do SPC Brasil.

Do total de entrevistados, 24% apontam que o preço elevado dos produtos é o principal motivo para economizar. A justificativa comprova que a situação não está boa, como governo e mídia tentam fazer o cidadão acreditar. Pelo contrário, o brasileiro sente o peso da política de arrocho.

Outra razão que desmascara Temer é o elevado índice de desemprego, perto dos 13%. Para 18% dos entrevistados, é preciso cortar os gastos, porque falta trabalho no Brasil. Outros 16% dizem que essa é a solução para pagar as dívidas e “sair do vermelho”.

A pesquisa mostra ainda que quatro em cada 10 pessoas tinham contas atrasadas no fim do ano passado, 45% estão no limite dos gastos e apenas 13% conseguiram chegar em dezembro com alguma sobra no orçamento, mas nada relevante. Entre os que recorreram a empréstimos, 22% estavam inadimplentes.

Fonte: O Bancário

8 jan 2018

Muito calor na agência do Banco do Brasil Itabuna

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Em visita á agência centro do Banco do Brasil em Itabuna, o diretor regional da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Ricardo Carvalho, constatou que o sistema de ar condicionado nos pisos 1 e 2 está funcionando de maneira precária. Além disso, no salão de autoatendimento a refrigeração é zero, proporcionando um ambiente hostil para clientes, vigilantes e os funcionários que exercem suas atividades no local.

Procurada para dar explicações, a gerencia da unidade informou que abriu procedimento junto ao setor responsável do banco e que este já retornou afirmando que uma medida paliativa será estruturada naquelas dependências,  enquanto que a solução definitiva, que é a troca de todo o sistema de refrigeração, seja efetivada.

O Sindicato solicita que essas medidas sejam tomadas com urgência pois a insalubridade constatada depõe contra a imagem da instituição e prejudica a saúde e o bem-estar dos clientes, funcionários e os trabalhadores, principalmente os que operam no salão de autoatendimento, onde o calor está insuportável.