18 abr 2018

Protesto nacional em Curitiba marca o 1º de maio

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O 1º de maio, Dia do Trabalhador, será de mobilização em defesa da democracia e um ato nacional marca a data este ano. A CTB e demais centrais sindicais homenageiam o ex-presidente Lula durante manifestação conjunta, em Curitiba (PR).

O ato está previsto para começar às 17h. Os participantes aproveitam a ocasião para fazer denúncia pública contra a arbitrariedade de todos os setores da Justiça brasileira que, mesmo sem provas, apenas com convicções, condenou Lula, hoje preso político.

Os trabalhadores ainda reivindicam mudança na atual política, para que o Brasil retome o crescimento econômico, com geração de emprego e distribuição de renda. Para isso faz-se necessário proteger as estatais e revogar a reforma trabalhista.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Governo está de olho nos beneficiários do INSS

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O governo promove mais um pente fino nos auxílios dos trabalhadores impossibilitados de trabalhar. A intenção é cortar os benefícios. Foram convocados 152,2 mil pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para fazer perícia médica.

Das 49,5 mil perícias do auxílio-doença realizadas, 36,9 mil tiveram o benefício cancelado. No caso de aposentadoria por invalidez, o INSS realizou 141,8 mil avaliações e cancelou 43 mil. O governo ainda pretende fazer 1,2 milhão de perícias médicas até o fim deste ano.

Foram convocados através do Diário Oficial da União, as pessoas que precisam passar pelo exame obrigatório e não foram localizadas em razão de endereço desatualizado ou com informações incorretas. Além dos que receberam a carta do INSS, que comunica a necessidade da revisão médica, mas não agendaram a perícia no prazo determinado.

Quem teve o nome publicado deve agendar o exame pela Central de Atendimento da Previdência Social, no telefone 135. Todos devem procurar o INSS até 4 de maio.

 Fonte: O Bancário
18 abr 2018

Desempregados não conseguem recolocação

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

A ausência de políticas econômicas voltadas para o trabalhador, do governo Temer, tem tornado a vida do cidadão bem difícil, sobretudo se tiver desempregado. O tempo para conseguir uma colocação no mercado de trabalho é o maior em décadas.

Levantamento da consultoria Idados aponta que 46% dos desempregados conseguiram uma recolocação no mercado. No entanto, mais de metade é informal, ou seja, sem os direitos garantidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). São 23 milhões de pessoas trabalhando por conta própria.

O número de pessoas sem ocupação também não baixa. Atualmente, estpa perto dos 13 milhões. Desse total, um terço, sem esperança diante da atual situação do país, desistiu de procurar emprego, mostra a pesquisa.

Os dados analisados pela consultoria Idados são baseados na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Distorção salarial no país cresce assustadoramente

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O golpe que retirou a presidente Dilma Rousseff da presidência do Brasil para impor uma política de austeridade, como manda o neoliberalismo, tem causado estragos. Cerca de 4,5 milhões de pessoas tiveram de “se virar” com apenas R$ 47,00 por mês no ano passado. Em 2016, o valor também foi bem baixo, R$ 76,00.

Os números são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A queda do rendimento dos trabalhadores é resultado da precarização do emprego e do fechamento de vagas com carteira assinada. A análise deixa claro. O golpe é contra o trabalhador para combater a corrupção.

Outro dado ajuda a esclarecer. Enquanto a população mais pobre sente as consequência da política neoliberal e tem queda significativa na qualidade de vida, os lucros dos bancos e das grandes empresas crescem exorbitantemente.

A pesquisa mostra ainda que o número de desempregados no país só não é maior devido ao aumento do trabalho informal, 23,1 milhões de pessoas estão na informalidade, ou seja, trabalham, têm renda, mas não a garantia de direitos.

Outro dado merece destaque. Segundo o IBGE, a camada dos 10% mais ricos concentram 43% da massa de rendimentos do Brasil, totalizando R$ 263 bilhões enquanto a parcela dos 10% com menores rendimentos deteve apenas 0,7% desta massa.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Impostos altos definem a dieta dos brasileiros

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Os alimentos das prateleiras dos mercados trazem no preço, valor agregado não só de produção, mas de impostos altíssimos. As alíquotas,  no entanto, variam. Os produtos mais saudáveis têm impostos mais elevados. Já os industrializados são menos taxados, o que, curiosamente, acaba por definir a compra e a qualidade do alimento consumido pelo brasileiro.

A linha Hot Pocket Sadia, por exemplo, tem alíquota de apenas 8,7%, enquanto a cebola e a lentilha de 16% e 26%, respectivamente. Os dados do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação) mostram que os mecanismos adotados pelo governo ditam a qualidade da dieta da população.

A menor taxa para alimentos com agrotóxicos e industrializados age como incentivador para uma alimentação deficiente em detrimento de opções saudáveis e orgânicas. Sem falar que os produtos processados têm substâncias cancerígenas. Também por isso, no Brasil, alimentos orgânicos é coisa de rico.

Testes realizados pelo Greenpeace em alimentos comuns da dieta do brasileiro encontraram diversas substâncias proibidas, inclusive o uso de pesticidas acima dos limites estabelecidos por lei. Tudo ignorado pelo governo Temer à serviço do agronegócio.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Número de queixas contra bancos explodem

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O lucro recorde de R$ 65 bilhões no ano passado não é capaz de fazer os bancos investirem na ampliação do quadro de funcionários para desafogar as agências e prestar serviço de qualidade aos clientes. Não é à toa que o número de reclamações crescem.

O desmonte dos bancos públicos começa a ser sentido pela sociedade e a Caixa aparece no topo da lista, com índice de 27,62, segundo a metodologia utilizada pelo Banco Central para as organizações financeiras com mais de 4 milhões de clientes.

O Santander, que por muito tempo ocupou o lugar mais alto do pódio, está na segunda posição, seguido pelo Banco do Brasil. Os dados são referentes ao primeiro trimestre. As principais reclamações são quebra da confiabilidade, segurança, sigilo e legitimidade das operações.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

CPI avalia juros abusivos do cartão de crédito

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O Senado instalou ontem,  terça-feira (17/04), uma CPI dos cartões de crédito. O objetivo é averiguar os juros abusivos cobrados pelas operadoras. As taxas são fora da realidade. Em 2016, batia na casa dos 494%, mesmo com a Selic em 8,5%. No ano passado, estava em 334% ao ano.

Na teoria, a taxa básica de juros da economia deve servir de parâmetro para os bancos e operadoras de cartões definirem a política de juros. Ou seja, se a Selic cai, os índices do cartão deveriam reduzir automaticamente. Mas, os bancos ignoram. A cobrança é tão alta que chega a ser um “crime contra os consumidores”.

A CPI deve preparar requerimento para ouvir representantes das empresas de cartão de crédito, do Banco Central, do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Economia), da Febraban e de Institutos de Defesa do Consumidor.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Maiores bancos concentram 78,5% do crédito

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Continua em alta a concentração bancária. Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa possuíam 78,51% de todos os empréstimos feitos por organizações financeiras no Brasil em 2017. Ainda detêm 72,69% dos ativos bancários e 76,35% dos depósitos.

Mesmo com a Selic em 6,5% ao ano, o nível mais baixo da história, o consumidor ainda sente muito com o valor dos juros cobrados pelas empresas. O spread bancário elevado – diferença entre o que os bancos pagam para captar e o que cobram na ponta – é uma das consequências da alta concentração bancária. O avanço é evidente. Em 2007, o patamar de concentração dos quatro maiores bancos do país era de cerca de 54%. Os dados são do Banco Central.

O que importa para as empresas é lucratividade exorbitante. Após ter recuado quase 20% em 2016, o lucro dos maiores bancos do país cresceu no ano passado. Itaú, BB, Bradesco e Santander alcançaram R$ 57,63 bilhões em 2017 ante R$ 50,29 bilhões em 2016, crescimento de 14,6%. Já a Caixa lucrou  R$ 12,5 bilhões. Uma disparada de 202,6%.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Movimentos sociais ocupam a Rede Bahia

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Movimentos sociais, Frente Brasil popular e o MST (Movimento Sem Terra), ocuparam a Rede Bahia, filiada da Rede Globo em Salvador, na manhã desta terça-feira (17/04).

O ato que começou às 5h da manhã faz parte do movimento do Dia Nacional de Lutas em Defesa da Democracia, pela injusta prisão de Lula e a manipulação midiática em torno do caso.

Além disso, a data marca o segundo ano do golpe midiático-juridico-parlamentar, ocorridO no dia 17 de abril de 2016, apoiado também pela Globo.

Fonte: O Bancário

18 abr 2018

Na Previ, Sindicato da Bahia é Chapa 2. Vote

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

É chegada a hora de escolher os novos representantes dos associados na Previ pelos próximos quatro anos. A eleição começa nesta quarta-feira (18/04) e segue até o dia 30 de abril. Mas, é importante garantir logo a participação.

O Sindicato dos Bancários da Bahia apoia a Chapa 2 – Previ para os associados, formada por pessoas experientes e comprometidas com a plano de previdência.

Entre as propostas, a proteção do patrimônio dos participantes da Previ e ampliação dos direitos. Um ponto importante diante do atual cenário nacional e de desmonte de tudo o que é público.

As propostas incluem ainda fim do voto de minerva, resgate das contribuições patronais no Previ Futuro, implantação do teto de benefícios, já aprovado pelo Conselho Deliberativo para o Plano1. Outro item fundamental é a mobilização contra o PLP 268, que entrega a Previ ao mercado.

No pleito, serão eleitos os diretores de Administração e de Planejamento, e representantes nos Conselhos Fiscal, Deliberativo, Consultivos do Plano 1 e do Previ Futuro.

Votação

A votação é fácil. Quem está na ativa, acessa o SISBB. Aposentados e pensionistas votam pelo site ou aplicativo da Previ, autoatendimento ou pelo telefone 0800.

Nos canais da Previ, o associado tem de utilizar a senha do autoatendimento do plano. Quem quiser votar pelos terminais, usa o cartão e senha da conta corrente.

Fonte: O Bancário