23 nov 2010

Trabalhador perde dedo na Trifil

Autor: riccardus | Categoria: Não categorizado

Um trabalhador da empresa Trifil, que labora no setor de EPA perdeu o dedo em acidente em uma empilhadeira elétrica. Segundo informações de vários colegas dão conta de que os equipamentos não têm proteção e manutenção.

Este situação da falta de segurança no trabalho já havia sido denunciada pelo Sintratec no informativo Pano pra Manga, bem como, a falta de botas, cintos de segurança. Além disso, já denunciamos que as gaiolas se encontram danificadas o que vem colocando em risco a vida dos trabalhadores.

O Sintratec solidariza-se com o trabalhador acidentado e lamenta que acidentes como este ainda aconteça em pleno século 21. As empresas devem oferecer o máximo de segurança e treinamento adequado para os trabalhadores.

SINTRATEC – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS TÊXTEIS E CALÇADISTAS DO SUL E EXTREMO SUL DA BAHIA

Filiado à CTB

Leia o blog do Sintratec:

www.operariosnarede.blogspot.com

 

23 nov 2010

HOSPITAL DE BASE: ESTADUALIZAR É A SOLUÇÃO!

Autor: riccardus | Categoria: Não categorizado

 

Hospital de Base está sucateado

                        O Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães historicamente convive com as dificuldades: falta de planejamento, escassez de recursos e má gestão, o que gerou uma dívida de 30 milhões de reais.

Hoje a situação é caótica: alto índice de óbitos (acima de 70 por mês) falta de: medicamentos e instrumentos como, luva e seringas, gases, garrotes, entre outros;  utensílios como macas, colchões e lençóis, além da manutenção em equipamentos como tomógrafos (quebrado) e raio X (danificado). Isso tudo sem falar nos constantes atrasos no pagamento dos médicos e demais servidores.

Segundo os administradores do hospital é necessário dois milhões e meio de reais por mês para garantir o funcionamento condigno do estabelecimento, mas a prefeitura assume apenas o pagamento das contas de água, luz e telefone. Enquanto isso o Estado da Bahia garante o repasse de um milhão e meio de reais, o que cobre a folha de pagamento, que é da ordem de um milhão e cem mil reais.

Diante dessa grave situação o governo do Estado propôs a estadualização do hospital, o que lhe garantiria a gestão e a possibilidade de arcar com os investimentos necessários a uma digna prestação de serviços aos usuários do SUS de Itabuna e Região.

Contudo, por incrível que pareça, o prefeito nega-se ao diálogo com vista a estadualização, deixando o povo de Itabuna a mercê dos riscos de um hospital deficiente. Isso prova a sua falta de compromisso com a saúde da gente grapiúna.

Só a mobilização dos segmentos organizados da sociedade e do povo em geral poderá trazer uma solução para o nosso Hospital de Base e a saúde de Itabuna.

PARTICIPE  DESSA  LUTA!

A SAÚDE DE ITABUNA ESTÁ DOENTE!

MOVIMENTO PELA ESTADUALIZAÇÃO DO HOSPITAL DE BASE

Vavá tinha 108 canários do reino, hoje não resta nenhum. O motivo: os ratos de telhado que invadiam o viveiro do seu sobrado na periferia de São Bernardo do Campo, Grande São Paulo. A casa simples onde mora Vavá, ou Genival Inácio da Silva, irmão do presidente Lula, é a mesma há 36 anos.

Às vésperas do segundo turno da eleição, ele conversou por uma hora com a Folha. De início, gritou para a mulher, que atendeu o portão, que não queria papo. Mas logo cedeu e convidou a reportagem a entrar.
Primeiro falou na apertada sala (5 m²), decorada com móveis tipo Casas Bahia, azulejo barato, uma TV grande e três quadros: uma foto oficial do presidente (com o autógrafo “Para o meu querido irmão Vavá, um abraço do Lula”); um retrato em preto e branco da mãe, dona Lindu; e um quadro bordado de uma mulher-anjo.
Depois, no terraço do primeiro andar nos fundos da casa, onde havia a criação, contou que os ratos arruinaram os canários e ele foi forçado a dar os que restaram.
Personagem do noticiário em 2007, quando foi indiciado pela Polícia Federal por tráfico de influência e exploração de prestígio, na Operação Xeque-Mate (que investigou máfia de caça-níqueis), Vavá foi excluído da denúncia do Ministério Público.
“Os caras pensam que a gente é milionário, quebraram a cara. Desmoralizam você, te jogam no lixo. Se não tiver cabeça, acabou.”
Aposentado como supervisor de transporte da Prefeitura de São Bernardo, pouco sai de casa. Ainda se ressente de seis cirurgias nos últimos anos (no fêmur e na coluna).

Dureza
A poucos dias de Lula deixar a Presidência, após oito anos no cargo, os seus seis irmãos vivos moram em situação semelhante à de Vavá, alguns com maior dureza.
O primogênito, Jaime, 73, vive numa periferia pobre de São Bernardo, acorda diariamente às 4h30 e vai de ônibus para o trabalho, numa metalúrgica na Vila das Mercês, zona sul de São Paulo.
Marinete, 72, a mais velha das mulheres, que foi doméstica na juventude e hoje não trabalha, é vizinha de Vavá.
Quando a Folha o entrevistava, ela surgiu no terraço dos fundos do seu sobrado, colado ao dele, para checar um contratempo. “Não tem água. Acabou a água da rua e estou sem água”, queixou-se. “Marinete do céu, nenhuma das duas [da rua ou do tanque]?”, questionou Vavá.
O fotógrafo Lalo de Almeida subiu no muro para checar o registro da caixa d’água. “Ó o sujeito… Ah, você não vai subir, não. Filhinho de papai, não sabe subir em muro”, gracejou Marinete.
Vavá, 71, é o terceiro. É seguido por Frei Chico (José Ferreira da Silva), 68, o responsável por introduzir Lula no sindicalismo. Metalúrgico aposentado, Frei Chico recebe ainda uma indenização mensal de R$ 4.000 por ter sido preso e torturado na ditadura. Presta assessoria sindical e mora em São Caetano.
Maria, a Baixinha, 67, e Tiana (cujo nome de batismo é Ruth), 60, a caçula –Lula, 65, está entre as duas–, completam a família. A primeira vive no mesmo bairro que Vavá e Marinete e não trabalha; Tiana, merendeira numa escola pública, mora na zona leste de São Paulo.
Esses são os sobreviventes dos 11 filhos de dona Lindu com o pai de Lula, Aristides –que teve vários outros filhos com outras mulheres.

Saúde
Todos os irmãos do presidente Lula têm problemas de saúde. Jaime e Maria enfrentaram cânceres. Frei Chico é cardíaco. Vavá tem complicações ósseas. Marinete está com uma doença grave que os irmãos não revelam.
“Só tem o Lula bom ainda”, afirma Frei Chico.
Os parentes dizem não receber auxílio financeiro do presidente e não se queixam disso. “Ele não foi eleito presidente para ajudar a família. Seria ridículo se desse dinheiro”, declara Vavá.
“Não tem o que dizer. O Lula tem a vida dele, temos a nossa. Ainda posso trabalhar, trabalho”, diz Jaime.
Frei Chico conta estar aliviado com o fim do mandato de Lula na Presidência. Ele acredita que vai cessar o assédio aos irmãos em busca de atalhos até o Planalto.
“Para nós, só tem a melhorar. Vamos ficar mais tranquilos em relação à paparicagem. É muita gente enchendo o saco, gente que achava que a gente podia fazer alguma coisa”, afirma.
Os irmãos não têm ilusão de que, ao deixar Brasília, Lula seja assíduo nas reuniões familiares. “Estamos envelhecendo, a família vai chegando ao fim e assumem os filhos e sobrinhos, a família lateral”, diz Vavá.
O consolo é pensar que o irmão famoso estará mais perto. “Ele disse que não vê a hora de voltar [para São Bernardo] para descansar um pouco. Ele está muito cansado. O Lula tem trabalhado muito”, afirma Marinete.

Fonte: Folha Online

 

Genival Inácio da Silva, o Vavá, um dos seis irmãos vivos de Lula, no terraço de sua casa, em São Bernardo


 

Nos últimos anos, o campo brasileiro viu o plantio industrial de eucaliptos crescer 720 hectares por dia. A informação é divulgada pela própria associação das empresas que plantam estas monoculturas no país, todas elas ligadas ao ramo da produção de papel e celulose.720 hectares são mais ou menos o mesmo que 960 campos de futebol, de acordo com a associação.O chamado “deserto verde” vem mudando a paisagem do interior do país. As indústrias papeleiras vêem no Brasil um país atrativo pelo preço da terra. Outro fator que chama atenção dessas empresas no Brasil é o fato do eucalipto ficar pronto para corte em sete anos, enquanto em outros países pode chegar a 25 anos.Os danos socioambientais são claros:
movimentos sociais e organizações apontam que monocultivo de eucalipto causam a perda da qualidade do solo e das águas subterrâneas.

Minas Gerais, São Paulo e Bahia são os estados onde a área plantada é maior. Mas estados pequenos como o Espírito Santo já perderam grande parte de sua vegetação original em função da plantação de eucalipto.

Marquinho Mota
Assessoria de Comunicação – Rede FAOR
faor.comunicacao@faor.org.brwww.faor.org.br

 

20 nov 2010

20 de Novembro: Dia Nacional da Consciência Negra

Autor: riccardus | Categoria: Não categorizado

O Dia Nacional da Consciência Negra, instituído em 20 de novembro em homenagem a Zumbi dos Palmares, para simbolizar a história de lutas dos brasileiros contra o racismo e a discriminação e por igualdade de direitos e de oportunidades.

“A categoria bancária faz parte dessa luta. A bandeira por igualdade de oportunidades vem sendo um dos principais eixos de reivindicações das campanhas nacionais

Pesquisa conduzida pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos   Socioeconômicos) comprova com números a existência de discriminação por parte dos bancos em relação aos negros, e também contra as mulheres e portadores de deficiência.

A publicação relata os avanços dos bancários na luta contra a discriminação, entre eles a realização da pesquisa que resultou no Mapa da Diversidade e a conquista na Convenção Coletiva de Trabalho da mesa temática sobre igualdade de oportunidades.
“Mas não basta obter conquistas no papel. As pesquisas mostram como o preconceito funciona na vida real e é necessário avançar para acabar de uma vez por todas com as discriminações, até que conquistemos na prática o pleno direito de igualdade e de cidadania para todos os brasileiros

 

É grande a diferença entre brancos e negros no mercado de trabalho. De acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira (11/11) pelo Instituto Ethos, houve um aumento no número de negros em cargos de chefia, mas o quadro ainda está muito longe do ideal.
Dados do estudo revelam que em 2007 havia 3,5% de negros em cargos de direção. Em 2010, o número passou para 5,3%, ou seja, houve um crescimento discreto. Atualmente, os brancos estão em 93,3% das posições de diretoria. Em 2007, a marca era de 94%.
Os números mostram ainda que a proporção de negros no quadro das 109 companhias analisadas passou de 25,1% em 2007 para 31,1% em 2010, enquanto que a de brancos de 73% para 63,7%, respectivamente.
Cerca de 620 mil empregados participaram da pesquisa que, sem dúvidas, mostra o abismo racial que divide o Brasil e separa as pessoas não pela competência, mas pela cor da pele.

Leia mais: www.bancariosbahia.org.br

Zumbi dos Palmares: Herói do Brasil

Sem resposta positiva do prefeito José Nilton Azevedo (DEM) em relação ao pagamento das pendências, os servidores municipais continuam acampados em frente ao Centro Administrativo e prometem uma grande manifestação ainda hoje.

Na próxima segunda-feira, 22 de novembro, está marcada para as 17 horas, reunião com o executivo para tratar mais uma vez sobre o assunto.

Na manhã da segunda-feira, os servidores  estarão concentrados a partir das 8 horas, no Jardim do Ó. A partir das 9 horas, a categoria segue numa caminhada rumo à  sede da Prefeitura, onde permanecerão até o resultado da reunião com o prefeito.

O Sindserv convoca todos os servidores para esta atividade da segunda-feira, dia 22 e solicita que todos participem usando roupa preta em sinal de protesto contra a intransigência e a irresponsabilidade do executivo municipal.

SINDSERV –Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna

Filiado à CTB

Leia mais no blog: www.sindservidoresctb.blogspot.com

Servidores exigem pagamento já dos adicionais, horas extras, comissões e pontuação dos fiscais

 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=L2SGlnO2crI]

Você vai rir muito com o vídeo postado pelo blog do Luis Nassif e reproduzido pelo blog do Miro. Trata-se de uma ligação de telemarketing da revista Veja a um ex-assinante. A telefonista chega a informar que o colonista da revista Diogo Mainardi foi demitido pela sua parcialidade e postura anti-Lula. Vale tudo para tentar deter a corrida de assinates para bem longe da revista.

 

 

18 nov 2010

OS MISERÁVEIS E O AUTOMÓVEL

Autor: riccardus | Categoria: Não categorizado

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=uwh3_tE_VG4&feature=player_embedded]Comentário infeliz na RBS/TV Globo de Santa Catarina. Para o infeliz jornalista a culpa pelos acidentes é dos pobres

Por Laerte Braga (3º Setor)

Uma jovem francesa de nome Sabrina foi trocada pelos pais como parte do
pagamento por um carro usado. À época tinha 23 anos e hoje tem 30. Doente,
foi deixada à porta de um hospital em estado lastimável. O fato não
aconteceu no Irã, mas na França, na cidade de Melun.

O jornal francês LE POST cita os nomes dos proprietários do carro, Franck
Franoux e Florence Carrasco. O valor estimado da prestação paga em forma de
Sabrina foi de 750 euros, algo como 1 760 reais.

Sabrina viveu em cativeiro entre 2003 e 2006, acorrentada a um abrigo.
Tomava conta dos filhos do casal, foi queimada várias vezes com pontas de
cigarros, ferro quente, espancada com barras de ferro e obrigada a manter
relações sexuais com outros homens que pagavam ao casal para isso
(naturalmente por conta de outras prestações atrasadas).

Quando largada às portas de um hospital em Paris ela não tinha dentes,
pesava 34 quilos e foi submetida a várias cirurgias para reconstrução de
nariz, orelhas e ainda hoje se encontra em estado físico e psicológico
deploráveis.

Os pais e os que receberam Sabrina em pagamento estão sendo julgados e podem
ser condenados a até 15 anos de prisão, mas dependendo das tais prestações,
quem sabe, a pena mínima é de dois anos.

Luís Carlos Prates é um comentarista da RBS/GLOBO em Santa Catarina. Segundo
ele esse governo espúrio popularizou o automóvel e quem nunca leu um livro
tem um carro. Comentava o número de acidentes e mortos no feriadão do dia
15 de novembro. O livro a que se refere deve ser MEIN KAMPF, o único que
provavelmente folheou. Leu as orelhas, mas absorveu o espírito. Registre-se
que o comentário foi em estilo furibundo, salvador da pátria, faltou só o
anauê ao final.

Na opinião do distinto os onze mortos em acidentes no feriadão de finados e
os vinte nesse da proclamação da República se devem a isso. Para Luís Carlos
Prates as pessoas ficam desatinadas para sair a qualquer custo. Maridos que
não se entendem com mulheres, ou vice versa, tentam, através do automóvel,
vencer curvas invencíveis na frustração do casamento fracassado. Já
imaginou ficar um feriadão olhando a cara metade, ou o cara metade? É o
raciocínio do comentarista padrão global.

E é bem o padrão GLOBO, aquele do BBB onde o diretor tem o hábito de jogar
água suja nas pessoas que julgam vadias. Nem Lúcia Hipólito no dia que estava
bêbada.

Leia mais no blog: http://br.groups.yahoo.com/group/3setor/messages

A Comissão de Trabalho da Câmara aprovou nesta quarta-feira (17) proposta que assegura às centrais sindicais 10 minutos semanais de transmissão gratuita em emissoras rádio e televisão.

A proposta original, de autoria da deputada Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), previa 10 minutos diários de programação sindical em rádio e TV, sete vezes mais que o texto aprovado. O texto aprovado é um substitutivo do deputado Roberto Santiago (PV-SP).

Para a deputada Manuela, o projeto, apresentado por ela a pedido da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), “dialoga com todos os segmentos para construir uma proposta ampla e democrática que possibilite aos trabalhadores terem voz nas rádios e emissoras de TV”.

O presidente da CTB, Wagner Gomes, espera que a matéria seja aprovada nas outras comissões. Se isso acontecer, ele adianta, será motivo de muita comemoração, “porque representa grande ganho para o movimento sindical e a sociedade”. Ele destaca o papel da mídia nas últimas eleições, quando o empresariado fez campanha aberta pelo candidato tucano, desequilibrando a disputa.

“A mídia é meio importantíssimo para levar para o conjunto da sociedade as nossas ideias e ações”, diz o líder sindical, acrescentando que “a medida amplia a democracia porque é a garantia de que os trabalhadores se manifestem e sejam ouvidos tanto quanto os empresários e permitirá à população ouvir os dois lados – o empresariado, que é dono dos meios de comunicação, apesar de ser uma concessão do Estado, e os trabalhadores, que não possuem os veículos de comunicação e nem espaço para se manifestar”, analise Gomes.

Mais duas votações

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, sem necessidade de ser votado pelo Plenário, ainda será analisada pelas comissões de Ciência e Tecnologia, de Comunicação e Informática e de Constituição e Justiça (CCJ).

As transmissões deverão ser em bloco ou em inserções de 30 segundos a um minuto, no intervalo da programação normal das emissoras. O texto estabelece também que os programas produzidos pelas centrais sindicais deverão ser transmitidos entre as 6 horas e as 22 horas das terças-feiras.

A proposta obedece a regra do Código Brasileiro de Telecomunicacões que estabelece as obrigações das radiodifusoras e estabelece que as emissoras de rádio e televisão terão direito a compensação fiscal pela cessão do horário gratuito.

Leia mais no portal da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB:  www.ctb.org.br