23 nov 2011

Plástico é uma ameaça às tartarugas

Autor: riccardus | Categoria: Não categorizado

Por LÁYRA SANTA ROSA - layrasantarosa@ojornal-al.com.br

A sacola plástica tão útil nos dias de compras em supermercado pode ser o principal motivo para a crescente mortandade de tartarugas marinhas que chegam a costa alagoana. Nos últimos três meses, mais de vinte animais foram encontrados encalhados nas praias de Maceió e 90% deles, tiveram como causa da morte constatada a ingestão de lixo doméstico.

As tartarugas, que estão em período de desova desde o início de setembro, são os principais alvos dessa poluição que atinge os mares. Ao chegarem ao litoral para deixarem seus ovos, elas acabam confundindo os plásticos com águas vivas, seu alimento preferido. O problema é que o plástico demora 200 anos para se decompor na natureza e não é digerido pelo réptil, que acaba morrendo por sufocamento ou por inanição (parar de se alimentar) por que sente constante saciedade.

Para biólogos e ambientalistas, o plástico tem sido hoje um grande problema para a preservação do meio ambiente e um dos grandes inimigos da vida marinha, em especial das tartarugas. Pesquisas apontam que, no Brasil, um bilhão de sacos plásticos são distribuídos pelos supermercados, isso significa 33 milhões por dia e 12 bilhões por ano, ou 66 sacolas plásticas para cada brasileiro em apenas um mês. E o pior é que a maioria delas só é utilizada uma única vez.

Mortandade aumenta em período de desova

Como não existe um órgão que cuide especificamente da vida marinha em Alagoas, uma estimativa das ONGs que trabalham com a preservação de tartarugas é que só em 2011, mais de 80 animais tenham morrido em todo litoral Alagoano. Porém, nos últimos três meses, quando iniciou o período de desova, que vai até março, é que a situação têm se complicado.

Em Maceió, a equipe do Instituto Biota de Conservação tem tido trabalho dobrado, principalmente nos finais de semana, quando o movimento de pessoas aumenta nas praias. “Quando recebemos um chamado para encalhes nas praias de Maceió, encaminhamos uma equipe para fazer todo o levantamento. A necropsia é feita no local e retiramos material para análise. Essas informações são enviadas para o setor de Biologia da Universidade Federal de Alagoas para estudos”, contou Eri Araújo, diretora do Biota.

Leia matéria completa clicando no link abaixo:

http://www.globalgarbage.org/praia/2011/11/13/plastico-e-uma-ameaca-as-tartarugas/

2 Respostas em “Plástico é uma ameaça às tartarugas”

  1. Recicle Ideias Diz:

    Olá!
    Gostaríamos de destacar alguns pontos importantes:
    As sacolinhas plásticas, assim como os demais materiais plásticos, são produtos 100% recicláveis. Além disso, são reutilizáveis (inclusive para o descarte de lixo), higiênicas e práticas.
    O problema não é a sacola plástica, mas sim o consumo e o descarte conscientes desse material. Dessa forma, reafirmamos a importância de se investir na educação da população quanto ao uso e descarte responsáveis!
    Sacolas são inertes. A população precisa se educar e não descartar de modo desenfreado e irresponsável.
    Abraços da equipe Recicle Ideias!
    http://www.facebook.com/Recicle.Ideias

  2. Naoki Diz:

    Que bacana, adreoi receber o informativo da CNtur com esse trabalho sustente1vel, cada dia que passa acredito ainda mais que quando queremos o universo conspira a nosso favor. Hoje o consumidor busca algo ale9m do objeto, ele busca colaborar com causas ambientais, sociais No turismo tambe9m, o turista busca ale9m do conforto, ele quer experieancias, viver a realidade, colaborar com os movimentos da cidade e deseja reduzir os impactos negativos. Essas alternativas sustente1veis buscam o contrario, buscam impactos positivos para os que recebem e os que visitam. Conciliar aspectos ambientais, sociais e culturais se3o o exercedcios de cidadania.

Deixe uma Resposta