24 set 2019

Economia pode piorar com mínimo congelado

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria
[Economia pode piorar com mínimo congelado ]

Embora o governo Bolsonaro tenha recuado da ideia de congelar o salário mínimo, mudando a Constituição federal, é bom ficar de olho. As contas públicas continuam no vermelho e devem fechar 2019 com rombo de R$ 139 bilhões. Sem um projeto para reduzir as despesas e fazer o país sair da crise, a proposta pode voltar e a população ter de amargar mais um prejuízo.


Pior. O poder de consumo das famílias, sobretudo as de baixa renda, cairia ainda mais, elevando a desigualdade social. Muita gente não sabe, mas a valorização do salário mínimo foi um importante mecanismo para reduzir as desigualdades. O aumento real entre 1997 e 2017 foi de 166,7%. Sem a medida, colocada em prática pelo governo Lula, o salário mínimo hoje seria de R$ 573,00. 


Importante destacar que ao assumir a presidência neste ano, Jair Bolsonaro pôs fim a política de valorização do mínimo que agora será reajustado apenas com o índice da inflação. A iniciativa não ajuda a economia nacional. Pelo contrário.


Uma pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas) revela que depois da recessão (2016), os brasileiros mais pobres amargam uma queda de mais de 20% da renda de trabalho acumulada. Já os mais ricos viram o rendimento de trabalho crescer 3,3%. Congelar o salário mínimo, portanto, agrava essa diferença. Detalhe: para atender as necessidades básicas de um cidadão, o salário mínimo deveria ser de R$ 4.277,04, segundo o Dieese. Muito longe do praticado.

Fonte: O Bancário

Deixe uma Resposta