9 out 2018

Eleições: a democracia ainda resiste no país

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O povo brasileiro não quer saber de violência, de discriminação e perseguição contra negros, índios, mulheres, LGBT, pobres e trabalhadores. E isso ficou evidente ontem, com a confirmação do segundo turno da eleição presidencial, no dia 28 próximo, entre Haddad, o candidato das forças democráticas, e o capitão Bolsonaro, presidenciável da extrema direita, que já comemorava vitória no primeiro turno.

Na reta final da campanha eleitoral, as demais candidaturas do campo de direita como Alckmin, Marina, Meirelles e Álvaro foram desidratadas para vitaminar o presidenciável do PSL, a fim de tentar fazê-lo ganhar no primeiro turno. Ele até apresentou uma surpreendente subida, mas não o suficiente.

A vontade popular foi decisiva para renovar as esperanças na democracia. Agora, com a confirmação do segundo turno, as forças progressistas e democráticas têm a oportunidade de se rearticularem e concentrarem esforços, a fim de ganharem a sociedade para barrar o avanço do fascismo de mercado representado por Bolsonaro, que em nada favorece aos trabalhadores.

Sem dúvida, Haddad não é a salvação da pátria. Mas encarna a esperança de um Brasil capaz de buscar o desenvolvimento sustentável com respeito à diversidade e compromisso com a soberania nacional.

Rui reeleito governador

O governador Rui Costa (PT) foi reeleito governador da Bahia e impôs uma derrota humilhante a José Ronaldo (21,94%), do DEM, a qual, politicamente, termina por respingar
no prefeito de Salvador, ACM Neto, principal idealizador e apoiador da candidatura.

Também foram eleitos os senadores da chapa do governador Rui Costa. Os novos representantes da Bahia no Senado serão Jaques Wagner e Ângelo Coronel.

Fonte: O Bancário

Deixe uma Resposta