13 jun 2018

No Brasil, juros altos, desemprego e inadimplência

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

O Brasil encerrou maio com 63,29 milhões de pessoas inadimplentes, crescimento de 2,78% em relação ao mesmo mês de 2017. Os dados do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) mostram que o Sudeste teve a maior taxa, com 8,7%.

Nas demais regiões, a alta foi menor. No Nordeste 2,95%, Centro-Oeste 2,27%, Norte 1,55% e Sul 1,08%. Reflexos reais da redução salarial advinda da reforma trabalhista e das altas taxas de juros bancários.

Ao contrário do que os economistas apontam como fim da recessão, os dados desmentem falácias que tentam aplacar a austeridade econômica do governo Temer. São mais de 91 milhões de pessoas em trabalhos informais, que atualmente ganham até 10% menos do que há quatro anos, segundo o IBGE. Um mercado de trabalho desaquecido e mais de 13 milhões de desempregados.

Além de não poder comprar, o brasileiro não consegue pagar o que deve, sobretudo nos cartões de crédito ou cheque especial que têm taxas de juros altíssimas ao ano, chegando a uma média de 322,98%, dados da Associação Nacional dos Executivos de Finanças.

Fonte: O Bancário

Deixe uma Resposta