25 jan 2018

Desdobramentos do golpe

Autor: riccardus | Categoria: Sem categoria

Ilana Pepe*

Que a democracia sofreu um golpe todos já sabem. Orquestrado sorrateiramente pela direita conservadora, derrubou a democracia e com eles a esperança de um país mais justo e igualitário. Acusada de manobras financeiras, Dilma não fez nada em benefício pessoal, não usou privilégios para se auto beneficiar e muito menos era alvo de investigações da lava-jato. Ou seja, não havia motivações plausíveis para que ela fosse afastada.

A extrema-direita estava cansada de ter suas articulações barradas pela Presidenta. Ela sabia que Dilma era linha dura e não fechava os olhos para ilícitos que ocorriam debaixo do seu nariz. Exonerou Geddel Vieira Lima da vice-presidência da Caixa, que já demonstrava insatisfação para com o governo, também demitiu Wagner Rossi que era ministro da Agricultura na época, mas Temer havia já acordado com Joesley Batista uma mesada de R$ 100 mil. Pelo menos, é foi o que saiu na mídia. Rossi era indicado de Temer ao Ministério. Essa demissão selou o primeiro embate entre o Temer e Dilma.

A conspiração se fortaleceu quando a presidenta reduziu o contrato da Petrobrás com a Odebrecht que chegou a render propina de US$ 40 milhões a Temer e aliados, conforme delações. A demissão de Moreira Franco foi o ápice. A extrema direita se levantou contra a democracia. Cansadas de perder privilégios, as elites foram apoiadas pela classe média.

Hoje, com o julgamento de Lula, a direita conservadora pretende contar com a decisão nada imparcial do juiz Sérgio Moro. O magistrado já demonstrou em diversos momentos que tem uma posição partidária. Caso Lula seja condenado, a democracia será realmente ferida, a esperança de um país mais justo e imparcial em seus julgamentos políticos vão juntos.

*Ilana Pepe é estudante de jornalismo

Fonte: O Bancário

Deixe uma Resposta